quarta-feira, 29 de outubro de 2008

ASSEXUARAM O MACACO!

Um filme espetacular. E, ao mesmo tempo, frustrante.

Assim é MIGHTY JOE YOUNG (1949), que nos cinemas brasileiros ganhou o sensacionalista – e, por isso, mesmo ótimo – título de O MONSTRO DO MUNDO PROIBIDO.

Trata-se da terceira “aventura com gorila gigante” dirigida por Ernest B. Schoedsack, que desbravara o filão com o indestrutível clássico KING KONG (1933), co-dirigido por Merian C. Cooper – nas duas “aventuras com gorila gigante” seguintes, Cooper assinaria apenas como produtor.

O sucesso do primeiro KING KONG levou Schoedsack a dirigir no mesmo ano uma continuação meio que feita às pressas, O FILHO DE KONG (1933) – naquela época, não se usava adicionar um algarismo romano ao título original, muito menos ressuscitar um personagem morto só para fazer uma seqüência; daí porque a fórmula de “O FILHO DE...” era tão popular.

Schoedsack e Cooper voltariam a se reunir com o criador dos efeitos especiais dos dois primeiros filmes, Willis O’Brien, para O MONSTRO DO MUNDO PROIBIDO.

Voltava também o ator Robert Armstrong, intérprete do ambicioso cineasta Carl Denham em KING KONG e O FILHO DE KONG, agora no papel de Max O’Hara, um dono de night-club – ambicioso, é claro (na foto abaixo, da esquerda para a direita, Armstrong, Ben Johnson, Nestor Paiva e Terry Moore).

Em busca de uma grande atração para a boate Golden Safari, ele organiza uma expedição à África.

Entre os membros do grupo está o caubói de espetáculos Gregg (Ben Johnson).

Depois de capturar vários leões, os homens de O’Hara travam uma furiosa batalha com Joseph Young, um gorila com mais de 3 metros de altura (grande, mas bem menor que King Kong, cuja altura variava de 5 a 7 metros, dependendo da cena; Joe Young também varia de tamanho no decorrer do filme).

Não tardam a descobrir que o gorila tem dono, a jovem e encantadora Jill Young (Terry Moore).

Filha de um colonizador estrangeiro, provavelmente americano, desde a morte do pai ela vive sozinha com os empregados africanos e seu gorila de estimação nas terras que herdou.

O’Hara logo a convence a ir com eles para a América, onde fará dela (e de Joe Young, obviamente) a principal atração de seu night-club.

Como se vê, é uma versão mais “família” de KING KONG.

Tão família que entre as três “aventuras com gorila gigante” dirigidas por Schoedsack, foi justamente essa que o Estúdio Disney escolheu para refilmar – e há quem diga que o resultado, lançado no Brasil como O PODEROSO JOE (1998), ficou bastante aceitável (abaixo, da esquerda para a direita, o novo Joe Young, a bela Charlize Theron e Bill Paxton).

O que para mim parece inaceitável é o processo de castração ao qual o diretor Schoedsack submeteu seus gorilas gigantes.

De KING KONG para O MONSTRO DO MUNDO PROIBIDO, eles diminuem não é só em tamanho, mas também em libido.

O fato de Joe ter o mesmo sobrenome da heroína, Young, evidencia que ele não passa de um irmãozinho para ela.

Sente-se confortável nessa situação, não demonstrando ciúme algum quando Jill se apaixona por Gregg.

Tudo que ela pede, Joe Young faz, como se fosse um cãozinho adestrado.

Ao fazer tal opção, Ernest B. Schoedsack renega ou demonstra não se dar conta do que havia de mais sedutor e impactante em KING KONG: a paixão carnal do símio gigante por Ann Darow (Fay Wray).

Não se tratava de afeição, nem de amor, mas de desejo sexual.

Desde o início, até por uma questão de estatura, ficava definida a impossibilidade da concretização daquele desejo.

E, conseqüentemente, a tragédia pairava no ar, quase palpável.

Se o gorila de O MONSTRO DO MUNDO PROIBIDO é assexuado, o que mantém o espectador grudado na poltrona até o fim?

Os hipnóticos efeitos especiais em stop motion (a técnica pela qual bonecos são manipulados, movimentados e fotografados quadro a quadro).

Produzido 16 anos depois de KING KONG, O MONSTRO DO MUNDO PROIBIDO apresenta resultados técnicos bem superiores, por sinal premiados com o primeiro Oscar de efeitos especiais da história da Academia.

Apesar do crédito a Willis O’Brien, o principal responsável pelas animações no filme foi o jovem Ray Harryhausen, fazendo sua estréia em longas-metragens (na foto abaixo, ele com o boneco de Joe Young).

As sessões da tarde de gerações e gerações futuras não seriam as mesmas sem a magia dos filmes com efeitos de stop motion a cargo de Harryhausen – JASÃO E OS ARGONAUTAS (1963), AS NOVAS VIAGENS DE SIMBAD (1974) e SIMBAD E O OLHO DO TIGRE (1977), para citar poucos.

Do trabalho dele a partir dos desenhos de O’Brien vêm os momentos mais cativantes de O MONSTRO DO MUNDO PROIBIDO, como a luta de Joe Young contra os leões e a seqüência em que caubóis tentam laçá-lo em plena selva africana.

Particularmente poética é a imagem da plataforma sobre a qual Jill toca piano se erguendo do palco como que por mágica, até que holofotes revelem nosso amigo Joe Young dando uma mãozinha.

Os realizadores do filme poderiam ter se contentado com a perfeição técnica de seu gorila, mas fizeram questão de ir além.

Quase no final, de maneira um tanto abrupta até, entra na história um orfanato em chamas.

Jill, Gregg e Joe Young desistem de fugir da polícia e param para ajudar as criancinhas em perigo.

Aqui, Joe Young se revela mais dócil até que Maguila, o Gorila dos desenhos de Hanna-Barbera.

Mas do ponto de vista técnico, toda a seqüência, fotografada em tons avermelhados de sépia, constitui um primor.

Atores interagem com bonecos e maquetes como se a vida toda tivessem habitado a mesma dimensão.

Tudo é tão perfeitamente realizado que você até esquece do final bocó que vem logo em seguida.


RANKING RP DAS 5 MELHORES FRASES EM CARTAZES
DAS IMITAÇÕES DE KING KONG











5) “Dez toneladas de fúria animal pulam da tela. Não confundir com KING KONG”, da produção coreana A*P*E (1976)














4) “Os dois mais poderosos monstros de todos os tempos no mais colossal conflito que a tela já conheceu!”, do clássico japonês KING KONG VS. GODZILA (1962)














3) “Arrancados de seu paraíso selvagem... Traídos por aqueles em quem confiaram... Destruição para todos!”, de MIGHTY PEKING MAN (1977), produção made in Hong Kong






2) “O que uma mulher faria para sobreviver?”, de KING OF KONG ISLAND (1968), título com que foi lançado nos Estados Unidos um filme italiano que não tem nem gorila gigante, nem ilha – mas conta com a beleza da atriz brasileira Esmeralda Barros















1) “Ela está num daqueles dias outra vez!”, da co-produção britânico-franco-germânico-italiana QUEEN KONG (1976)

12 comentários:

Takeo Maruyama disse...

A frase "Ela está num daqueles dias outra vez" do cartaz de QUEEN KONG é o máximo, há, há, há!

Felipe M. Guerra disse...

Quando vi o título, juro que pensei que era uma análise do pornô da Boca do Lixo ALUCINAÇÕES SEXUAIS DE UM MACACO!!!! hahahahaha. Ô mente poluída a minha...

daniel caetano disse...

O motivo pra ter tirado o apetite sexual do gorila deve ter sido o acordo do Código Hays, que ainda não tinha sido feito na época do primeiro King Kong.

Rodrigo Pereira, um sujeito que gosta de cinema disse...

TAKEO, não foi por acaso que essa tagline fica em primeiro lugar no meu ranking. É exemplo pronto e acabado do misto de oportunismo, boas idéias e falta de noção da galera dos exploitations. Talvez entre num eventual futuro Ranking RP das melhores taglines de todos os tempos. Apareça mais por aqui.

Rodrigo Pereira, um sujeito que gosta de cinema disse...

FELIPE, mas aí o título deveria ser SEXUALIZARAM O MACACO, né? Seja como for, o filme com o Chumbinho está mais para outros blogs, tipo o FILME PARA DOIDOS (por sinal, cada vez mais bacana).

Rodrigo Pereira, um sujeito que gosta de cinema disse...

DANIEL CAETANO, na mosca. Mataste a charada, só pode ser isso mesmo. O Código é de 34, um ano depois do primeiro KONG. Agora, para ter certeza de que o responsável foi realmente o Código, preciso ver O FILHO DE KONG, que também estreou em 33. Se houver libido de sobra no filhote, é sinal de que quem "castrou" MIGHTY JOE YOUNG foi o tal do Hays mesmo. Vou conferir. Valeu pela pista.

Ailton disse...

Sentindo falta de post novo, Rodrigo. Já vai fazer um mês...

Juliano Jacob disse...

Cara, muito bom seu Blog... Estarei sempre por aqui... Vou te passar alguns filmes que só eu vi...

Mônica Santos disse...

Pereira, bota mais novidade por aqui!!! Não deixe teus leitores abandonados hehehe Bjs, happy new year!

sexy disse...

情趣用品,情色,成人,A片,自拍

情趣用品,色情,成人影片,色情影片,免費A片,A片

情趣用品,成人網站,A片下載,日本AV,做愛

情趣用品,美女交友,A片,辣妹視訊,情色視訊

情趣用品,色情聊天室,聊天室,AV,成人電影

情趣用品,情趣用品,情趣,情趣

A片,aio,av女優,av,av片,aio交友愛情館,ut聊天室,聊天室,豆豆聊天室,色情聊天室,尋夢園聊天室,080聊天室,視訊聊天室,080苗栗人聊天室,上班族聊天室,成人聊天室,中部人聊天室,一夜情聊天室,情色聊天室,情色視訊,美女視訊,辣妹視訊,視訊交友網,免費視訊聊天,視訊,免費視訊,美女交友,成人交友,聊天室交友,微風論壇,微風成人,sex,成人,情色,情色貼圖,色情,微風,聊天室尋夢園,交友,視訊交友,視訊聊天,視訊辣妹,一夜情

情色,A片,AIO,AV,日本AV,色情A片,AV女優,A漫,免費A片,A片下載,情色A片,哈啦聊天室,UT聊天室,聊天室,豆豆聊天室,色情聊天室,尋夢園聊天室,080視訊聊天室,080聊天室,080苗栗人聊天室,免費視訊聊天,上班族聊天室,080中部人聊天室,視訊聊天室,視訊聊天,成人聊天室,一夜情聊天室,辣妹視訊,情色視訊,成人,成人影片,成人光碟,成人影城,自拍

A片,AIO,AV,日本AV,色情A片,AV女優,A漫,AIO交友愛情館,線上A片,免費A片,A片下載,情色A片,微風成人,嘟嘟成人網,成人,成人影片,成人光碟,成人影城,成人交友,愛情公寓,色情聊天室,情色貼圖,色情,色情影片,做愛,情色,哈啦聊天室,聊天室,UT聊天室,豆豆聊天室,尋夢園聊天室,080視訊聊天室,080聊天室,080苗栗人聊天室,自拍,性愛

情趣用品,情趣用品,情趣,情趣,A片,A片,情色,A片,A片,情色,情趣用品,情趣用品

情趣用品,A片,AIO,AV,AV女優,A漫,免費A片,日本AV,寄情築園小遊戲,情色貼圖,色情小說,情色文學,色情,色情遊戲,一葉情貼圖片區,色情網站,色情影片,微風成人, 嘟嘟成人網,成人,成人貼圖,18成人,成人影城,成人圖片,成人影片,UT聊天室,聊天室,豆豆聊天室,尋夢園聊天室,080聊天室,080苗栗人聊天室,080視訊聊天室,視訊聊天室

anareis disse...

Querido(a) novo(a) amigo(a),estou precisando muito da ajuda de todos os amigos. estou montando uma minibiblioteca comunitária pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,se voce puder me ajudar estou fazendo uma campanha de doações. pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3, ou pode doar livros ,ou pode doar máquina de costura, ou pode doar retalhos, ou pode doar computador usado. se quizer fazer aguma doação entre em contato com meu email: asilvareis10@gmail.com ,eu darei o endereço de remessa. se voce não puder me ajudar com doações pode divulgar minha campanha, tenho 2 blogs no google gostaria da sua visita: Eulucinha.blogspot.com ,obrigado pela sua atenção

O FALCÃO MALTÊS disse...

Parceiro, belo trabalho! Bravo!
Como parceiro do cinema, convido-o a navegar no blog O Falcão Maltês. Com ele, procuro o deleite cinematográfico.
Abraços,
Antonio Nahud Júnior

www.ofalcaomaltes.blogspot.com